Não consigo ler as bandas na propaganda do Tim Festival!

 

Saudações! Fiquei pensando em que escrever nessa semana para a parte musical. Pensei primeiramente no novo trabalho dos cabeças de rádio, mas decidi por adiar um post sobre. Então pensei no single do Efterklang, mas também acabei por deixar para depois, visto que, essa semana minha mente musical só consegue matutar sobre o show da Björk no Tim Festival de Curitiba da quarta-feira, dia 31 deste mês.

Quando saiu a programação de atrações deste Tim, fiquei muito animado com os shows de Anthony and The Johnsons e da Feist, além de obviamente o da Björk, mas destes, apenas o último vem à Curitiba. Consolo meu que a Feist está doente e cancelou as apresentações, então se eu não vejo ninguém mais vê! Mentira, para cobri-la em São Paulo e no Rio de Janeiro chamaram nada menos que a Cat Power (inveja) e para Vitória vai o Anthony (inveja).

Falando de quarta-feira. Hot Chip, banda estranha pacas alternativa de eletrônica meio que new rave só que mais calminha porque mistura elementos de neo-folk e pitadas de jazz, que está super em alta nos mp4 Foston da juventude por aí a fora com bandas como o Yelle, o duo alemão Digitalism, além do Simiam Mobile Disco e as coleções hypes da gravadora francesa Kitsuné. Depois a musa. Não tem como, ou gosta ou detesta! É oito ou oitenta! Se desta é pelo fato de ela usar roupas estranhas em clipes estranhos com gritos estranhos e instrumentos estranhos vinda de um país estranho, e se gosta é exatamente pelos mesmos motivos! Turnê do novo disco “Volta” lançado neste ano de 2007, vi um setlist de um show dela no Coachella desde ano e do novo álbum somente as “Timbalandianas” mesmo, “Earth Intruders” e “Innocense”. Em seguida é a vez do Arctic Monkeys… boring, boring, boring! Vou aproveitar essa hora pra sentar e descansar um pouco, ou quem sabe tomar uma aguinha. Por último os matadores… sim! Eles ainda existem! Eles foram o “boom” em 2004 com o seu “Hot Fuss” e a música chiclete (que eu detesto) “Somebody Told Me”. Todo mundo achava lindo, eles eram lindos, dançavam muito bem, eram a salvação do “róquenrou” críticos tinham um quadro do vocalista na parede e rezavam para ele voltados à Meca. Passou. Sumiram. Apenas quem realmente gostava ficou sabendo do “Sam’s Town”, disco menos legal que o primeiro, na minha humilde e indigna opinião, mas olhem! Clipe dirigido por Tim Burton na faixa “Bones”.

Enfim, me desejem sorte! Semana que vem eu falo sobre Radiohead e mais algumas estranhezas.

por sid

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: