Apreensão no SPFW

O desfile de Lourenzo Merlino marcou o evento paulista este ano não pelo impacto que suas roupas causaram no público, mas sim pela escolta que as mesmas tiveram. Pouco antes das modelos entrarem na passarela, a polícia militar entrou no camarim e expulsou todos os fotógrafos e jornalistas devido a um mandato de busca e apreensão das 48 vestes que iriam ser desfiladas. A ordem era tomá-las antes mesmo do desfile, mas o advogado do estilista garantiu, pelo menos, a apresentação por meio de negociações. O motivo do mandato foi uma dívida trabalhista do salão L’Equipe, antigo negocio de Lourenço, mas que, segundo seu advogado, foi contraída após a venda da parte do estilista par o outro sócio, Cinelli.

Segundo a Folha online, “O desfile transcorreu em clima muito tenso, tanto nos bastidores quanto na platéia, depois que se espalhou a notícia da chegada da Polícia Militar, que obrigou os jornalistas e fotógrafos a saírem do camarim.”.

por Thais Arrias Weiller

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: